IBIAPABA 24 HORAS

IBIAPABA 24 HORAS
Noticias da Serra da Ibiapaba e interior do Ceará
:



Em tempos de pandemia, com o acúmulo e o volume de resíduos sólidos, os gestores públicos municipais já preocupados com o descarte e o manuseio destes materiais, têm apoiado iniciativas que geram o fortalecimento da economia, como a geração de expectativa de vida às centenas de famílias que vivem da reciclagem e da coleta seletiva. 


A Startup Eco da Gente, criada como um negócio de impacto socioambiental, tem por finalidade minimizar e resolver os problemas coletivos ambientais e sociais de pequenos municípios, gerando empregabilidade local, proporcionando uma sociedade sustentável no longo prazo. 



“Reduzimos duas das principais mazelas existentes em nossa sociedade e nos pequenos municípios, a disposição inadequada do “lixo” e a vulnerabilidade social dos catadores de materiais reciclados através de ações socioambientais. Um bom negócio para o bem de todos, levando em consideração o impacto produzido e o baixo custo do contrato aos municípios. Somos um projeto permanente de educação ambiental e de coleta seletiva”, reforça o Gestor de Negócios da Eco da Gente, Igor Furtado. 



A Eco da Gente garante a redução da vulnerabilidade social dos catadores locais, garantido renda mínima de 01 (Um) salário mínimo aos participantes integrados e a compra garantida de toda a produção dos catadores associados. Após termo firmado de abandono do lixão, os catadores recebem apoio, fardamento, EPI´S e o acompanhamento do time de gestão social da Eco de Gente composto por assistentes sociais, pedagogos, psicólogos e médico do trabalho. 

Para Igor Furtado, a tecnologia é utilizada em favor do meio ambiente e da comunidade local. “Trazemos eficiência e inteligência artificial para o processo por meio de uma plataforma mobile que otimiza o cadastro das casas, dos grandes geradores e parceiros por georreferenciamento, o que possibilita uma análise em tempo real da participação da população nos dias da coleta seletiva”, disse Igor. 

No Ceará, os municípios de Uruoca e Graça, já iniciaram a implantação do projeto piloto. A celeridade das ações de implantação é um marco e uma característica trazida pelo seu criador, Igor Furtado, que desenhou um processo rápido para este fim, já que o problema de saúde pública é real e urgente por conta dos lixões a céu aberto. 

Igor Furtado é profissional da administração, com mais de 10 anos de experiência no âmbito público, e também, é especialista em Gestão Ambiental e Gestão de Projetos e formou time multidisciplinar que garante o sucesso da proposta. 

Para o prefeito de Uruoca, Francisco Kilsem, “Vamos contribuir para o fortalecimento da saúde ambiental para a redução de riscos à saúde humana no município e para o desenvolvimento sustentável, por meio da qualificação das políticas de resíduos sólidos, educação ambiental e saúde ambiental”, disse o prefeito. 

“Promovemos a educação em saúde, a educação ambiental e a participação das comunidades na gestão das políticas ambientais, de saúde e de resíduos sólidos por meio de campanhas, ações educativas e iniciativas congêneres”, completa o secretário do meio ambiente de Graça, Helton Lopes Alcantara. 

“É uma das nossas preocupações criar iniciativas de apoio aos catadores, como capacitar a gestão municipal sobre as políticas de resíduos sólidos e meio ambiente, por meio do fortalecimento institucional de seus órgãos gestores e da ampliação da participação da sociedade civil”, disse Helton. 

Os municípios de Uruoca e Graça, estão prontos para construir políticas públicas mais inclusivas e sustentáveis. Com a construção do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), também realizada pela Eco da Gente, os municípios poderão conhecer detalhadamente os resíduos gerados, e então, traçar estratégias para uma gestão eficiente conforme a realidade local, contando com a participação social e governamental. 

“Estamos caminhando com pequenos municípios na implementação de uma gestão socialmente inclusiva e ambientalmente adequada. Mais de 65% do que é enviado aos lixões são materiais com potencial de aproveitamento”, finaliza o Gestor de Negócios da Eco da Gente Igor Furtado.

 

 

 

Advertisement

0 comentários:

 
Top